TEMA 16 – Embaixadores de Cristo

pregarQuando aceitamos Jesus Cristo como nosso salvador e senhor; quando aceitamos as doutrinas e os mandamentos bíblicos como regra para nossa vida, passamos a ser embaixadores do Céu, embaixadores de Cristo. Embaixador é aquela pessoa que, basicamente, promove os assuntos e os interesses de sua nação. É um representante do país de origem. Se somos embaixadores de Cristo, vamos defender os interesses dEle diante do mundo. E o principal interesse de Jesus é salvar as pessoas e libertá-las do pecado. Deus espera que sejamos Seus instrumentos neste mundo perdido. Ele quer que amemos, curemos e ensinemos, exatamente o que Ele fez quando esteve aqui na Terra. Precisamos ensinar às pessoas que há esperança para este mundo: a volta de Jesus. Há esperança para os que morreram crendo em Cristo: a ressurreição. Que podemos ter uma vida mais saudável seguindo os princípios bíblicos de saúde. Que os mandamentos de Deus existem para nossa proteção e estão em vigor, inclusive o quarto, que manda observar o sábado como dia santo. Que podemos ter melhores relacionamentos quando vivemos em comunhão com Deus. Enfim, Jesus quer que tenhamos vida em abundância, uma vida plena (João 10:10), e que compartilhemos esse conhecimento com as pessoas ao nosso redor – por palavras e atos. Neste estudo, vamos descobrir como vive um embaixador do Céu. Não se trata de regras para tirar nossa liberdade, muito pelo contrário: são orientações que podem nos fazer muito mais felizes e nos ajudar em nossa caminhada rumo à vida eterna.

1. Como deve viver o cristão? Leia o texto a seguir e escreva aquilo que mais lhe chamou a atenção. Romanos 12:9-21

2. Qual deve ser a única dívida do cristão? Romanos 13:8

3. Que conselhos dá a Bíblia aos:

a) Pais …………………………………… Efésios 6:4; 1 Timóteo 5:8
b) Filhos …………………………………………………… Efésios 6:1-3
c) Empregados ……………………………………………….. Efésios 6:5, 6
d) Patrões ………………………………………………….. Efésios 6:9
e) Maridos ………………………………… Efésios 5:25; Colossenses 3:19
f) Esposas ………………………………… Efésios 5:22; Provérbios 31:30

São conselhos que, se forem colocados em prática com a ajuda de Deus, tornarão a vida muito mais simples, leve e feliz – a nossa e a dos outros com quem convivemos.

4. Com que tipo de pessoas devemos nos associar? 1 Coríntios 5:9, 11

Paulo não está dizendo que devemos dar as costas para os pecadores. Se dissesse isso estaria contradizendo as palavras e atitudes do próprio Cristo. Mas cabe um pequeno esclarecimento aqui: Jesus não andava com pecadores; Ele os recebia para transformá-los. Jesus não andava com prostitutas e ladrões; Ele os recebia como estavam para transformá-los em filhas e filhos de Deus. Assim deve ser o cristão: ele deve receber os que vivem no erro para ajudá-los a ter uma nova vida, o que não significa andar por onde essas pessoas andam e viver como elas. Nesse contexto é que deve ser entendido o texto de 1 Coríntios 5:9, 11. Devemos nos associar com pessoas que querem andar com Jesus, mas buscar os perdidos e levá-los ao Salvador. 

5. O que a Bíblia fala sobre namoro e casamento? 1 Coríntios 7:39; Deuteronômio 7:3, 4; Malaquias 2:11; 1 Tessalonicenses 4:4-7; Provérbios 5:3, 8

Obviamente que Deus é contra o adultério, a traição, a impureza, a pornografia e coisas do tipo. Mas é a favor da prática do sexo no contexto certo, ou seja, no casamento – afinal, foi Ele quem criou o sexo. Os textos bíblicos que você acabou de ler trazem conselhos importantes, ao tratar do sensualismo fora de lugar (antes do casamento) e do casamento com pessoas que não têm a mesma fé (isso geralmente é fonte de desentendimentos entre o casal e complica a vida dos filhos). Seguir os conselhos inspirados da Bíblia quanto ao relacionamento com o sexo oposto é a receita para um casamento feliz e duradouro. E durante o casamento, obviamente, o amor e a sensualidade sadia devem ser cultivados.   

6. Como deve ser o vestuário de um embaixador e uma embaixadora de Cristo? 1 Timóteo 2:9; 1 Pedro 3:3

Existem diferenças culturais que devem ser levadas em conta. Por exemplo: há regiões da áfrica em que homens usam “vestidos”. No Ocidente isso causaria estranheza. Mas existem princípios que se aplicam a todas as culturas, tanto para roupas masculinas quanto femininas: distinção (roupa de homem, roupa de mulher), decência (roupas que não revelem o que não deve ser mostrado), modéstia (simplicidade) e bom gosto (não é porque é cristão que precisa ser “brega”). É claro que Deus vê o que está no coração, mas as pessoas veem inicialmente o que está em nosso exterior: nosso sorriso, nosso olhar e, claro, nossa roupa. Nosso vestuário tem representado bem nosso Mestre? Quem nos vê identifica um embaixador, uma embaixadora do Céu? Pense nisso.  

7. Que lugares não devemos frequentar? Tiago 4:4: 1 João 2:15-17

Lugares em que as virtudes cristãs não existem, em que o pecado, a mentira, a impureza são valorizados. Frequentar lugares assim, quando sabemos que se trata de ambientes que desagradam a Deus, é pedir para ser influenciados para o mal.

8. Que fruto Deus quer que manifestemos em nossa vida? Gálatas 5:22, 23 

Se o fruto é do Espírito, o que temos que fazer para tê-lo em nossa vida é manter uma viva e íntima comunhão com Deus, por meio da leitura da Bíblia, da oração e do testemunho cristão. Se fizermos isso, o fruto brotará naturalmente.

9. O que é “testemunho cristão” e como isso pode ajudar em minha comunhão com Deus? Mateus 28:19, 20

Testemunhar é falar de coisas que vimos e experimentamos. Quando conhece Jesus, naturalmente a pessoa sente o desejo de falar dEle para os parentes, amigos, colegas. Isso é testemunhar. Assim como a oração e o estudo da Bíblia, o testemunho ajuda a manter viva nossa comunhão com Deus. Que tal falar de Jesus para alguém? Que tal compartilhar as verdades que você aprendeu nestes estudos? Experimente! Peça que Deus coloque em seu caminho alguém para quem você possa testemunhar, e esteja atento às oportunidades.

10. Atos 2:47 diz que Deus acrescentava à igreja as pessoas que iam sendo salvas. A igreja é como um hospital para receber os pecadores e ajudá-los no processo de cura. A igreja tem suas necessidades e Deus estabeleceu um plano para ajudar nisso. Qual é esse plano? Malaquias 3:10, 11

O dízimo existe desde os tempos do Antigo Testamento. Abraão foi o primeiro a devolver o dízimo (Hebreus 7:1, 2). Dizimar é devolver a décima parte dos nossos rendimentos (Levítico 27:30, 32) em reconhecimento ao Deus que nos dá condições de adquirir o que temos (Deuteronômio 8:18). Obviamente que Deus não precisa de dinheiro, pois Ele é o dono do Universo, mas Ele estabeleceu o dízimo para a manutenção do ministério (1 Coríntios 9:13, 14), para que a obra dEle possa ser levada avante aqui na Terra.

11. Mas o dízimo não seria uma prática apenas do Antigo Testamento? Jesus aprovou a devolução do dízimo? Mateus 23:23

Note que Jesus estava condenando a hipocrisia dos fariseus, que eram cuidadosos na devolução do dízimo, mas não eram misericordiosos. Depois Jesus diz que eles deveriam fazer as duas coisas: ser bondosos e continuar devolvendo o dízimo. Logo, o Mestre aprovou, sim, a prática de devolver dez por cento de nossa renda para a manutenção do trabalho sagrado.

12. Leia o Salmo 37:25 e diga o que você entende desse texto.

Devolver o dízimo, na verdade, é um privilégio. É uma alegria saber que parte dos nossos recursos ajudam a manter pastores e missionários em seu trabalho sagrado. Deus nos colocou neste mundo como administradores dos recursos que Ele nos deu. Alguns falam em quatro “t”: tempo (dedicar tempo para as coisas de Deus), talentos (dedicá-los na causa de Deus), templo (usar nosso corpo para o bem) e tesouros (usar nossos recursos para ajudar na pregação do evangelho). E a verdade é que os maiores beneficiados somos nós. Ao administrar os recursos que Deus nos dá e partilhar o que temos e somos, aprendemos o que é desprendimento, prevenimos a ganância e aprendemos também a confiar em Deus e a gerenciar melhor a vida.

Mais um detalhe: você percebeu que, para o dízimo, usamos a palavra “devolver”? É assim porque o dízimo não nos pertence. É a parte de Deus, assim como o sábado também não nos pertence, é a parte de Deus na semana. Tanto o sábado quanto o dízimo são chamados de “santos” porque foram separados para uma finalidade específica. Portanto, dízimo a gente devolve, ofertas a gente dá, o quanto quiser, e sempre com alegria (2 Coríntios 2:7).   

MINHA DECISÃO:

Decido colocar minha vida em conformidade com as recomendações bíblicas, pedindo a Deus forças para fazer isso; para viver como um verdadeiro embaixador do Céu. E decido também contribuir com a obra de Deus na Terra por meio da devolução do santo dízimo e de minhas ofertas voluntárias, dando-as com alegria e amor.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s